27 agosto 2015

A quem interessa a extinção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul?

Audiência Pública na Assembleia Legislativa - Cesar Cardia/Amigos da Gonçalo
Entidades de defesa do meio ambiente estão mobilizadas pressionam o governo do Rio Grande do Sul a retirar o projeto de extinção da ou garantir que os deputados votem contra a extinção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB).

Manifestação na chuva em 11/8/2015 - Andréia Carneiro/Apoio à FZB

A proposta de extinção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, apresentada dia 6 pelo governador José Ivo Sartori, dentro de um pacote de medidas de “ajuste fiscal”, significa um retrocesso inaceitável em termos de conhecimento e defesa da nossa biodiversidade.

Piquenique no Jardim Botânico em 16/8/2015 - Fernando Vargas/Apoio à FZB

O fechamento da Zoobotânica pode afetar a produção de remédios contra veneno de cobras no Brasil. A coleção de serpentes mantida pela equipe no Estado fornece grande parte do material para produção de soro anti-ofídico no Centro do país. A FZB também é responsável por monitorar a lista de espécies com risco de extinção no Rio Grande do Sul e pela manutenção do jardim botânico da Capital, considerado um dos quatro melhores do país.

Protesto no centro de Porto Alegre em 17/8/2015 - Eleara Manfredi/AGAPAN
 
Segundo o projeto do governo, os cerca de 200 servidores da Fundação Zoobotânica acabariam demitidos e o Jardim Zoológico seria concedido a uma empresa privada. A secretária do Meio Ambiente, Ana Pellini, declarou que as pesquisas realizadas no órgão poderiam ser substituídas por parcerias com universidades, porém admitiu mais tarde a ambientalistas que protestaram em frente da Secretaria do Meio Ambiente que o projeto de extinção da Fundação era realmente muito ruim.

Piquenique no Jardim Botânico em 16/8/2015 - Rosana Senna/Apoio à FZB
 
O projeto enviado com pedido de urgência à Assembleia Legislativa do estado motivou protestos de muitas entidades e os atos de contrariedade com esse absurdo de nosso governo estadual, como uma Audiência Pública no Teatro Dante Barone na Assembleia Legislativa, parecem estar fazendo efeito junto aos nossos políticos. Muitos deputados já manifestam intenção de votarem contra a extinção da Fundação e isso fez o governo retirar o pedido de votação com urgência no Legislativo estadual.

Piquenique no Jardim Botânico em 16/8/2015 - Edi Fonseca/AGAPAN

Mas não dá para comemorar, é necessário aumentar a mobilização e pedir ainda mais apoios para que o projeto seja retirado ou derrotado em nossa Assembleia Legislativa.

Audiência Pública com teatro lotado - Cesar Cardia/Amigos da Gonçalo
 

Audiência Pública em 20/8/2015 - Cesar Cardia/Amigos da Gonçalo
Audiência Pública em 20/8/2015 - Cesar Cardia/Amigos da Gonçalo
Texto em inglês produzido pela coordenação do Movimento contra a extinção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul para divulgação no exterior:
 
The extinction of the Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul – Brazil

Dear colleagues, The Government of Rio Grande do Sul State submited a few days ago to the State Legislative Assembly a bill asking permission to decree the extinction of the Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul - FZB - in Brazil .

Since 1972, this foundation has provided important services to the Brazilian society through its three agencies, Museum of Natural Sciences, Botanical Garden and Zoological Park.

FZB projects initiatives often carried out in cooperation with national and international organizations, seek to combine nature conservation with social development. Some examples are zoning and environmental assessments, guidelines for good agricultural practices, projects on sustainable use of biodiversity resources and management plans for protected areas; coordination of extinction risk assessment of the Rio Grande do Sul State’s fauna and flora.


Moreover, the FZB also maintains public spaces for recreative and cultural purposes; promotes environmental education targeted at public schools and the general community; runs museological events and organizes permanent and itinerant exhibitions; develops human resources training by guiding students in research projects; provides training courses for primary and secondary teachers; offers training in animal identification and handling; holds scientific collections of reference on the State’s fossil and recent biodiversity and publishes scientific journals of international impact and several works for science popularization.

Among the many researches developed by the FZB are the description of new species of plants, animals and fossils, biodiversity inventories, management of poisonous animals aiming to the production of antivenom, biomonitoring of air and water quality, plans to recover degraded environments, study of roads’ impact on wildlife, studies on proliferation of toxic algae, effects of parasites and invasive alien species, among many others. We ask for your support so that the FZB can continue to exist.



Prof. Dr. Ludwig Buckup fala da criação da Fundação Zoobotânica do RS na Audiência Pública realizada na Assembleia Legislativa, em 20 de agosto de 2015, para discutir o PL 300 do Governo Sartori, que determina a extinção da FZB. É ela que administra o Museu de Ciências Naturais, o Jardim Botânico e o Parque Zoológico do RS.

No Jornal JÁ:
“Quem ficará responsável por patrimônio e pelas pesquisas”, questiona equipe da FZB

05 agosto 2015

70 anos da destruição de Hiroshima e Nagasaki

Nuvem atômica sobre a cidade de Nagasaki

Nos dias 6 e 9 de agosto de 1945 as duas cidades japonesas foram vítimas de bombardeios atômicos.

Em Hiroshima foi jogada a bomba atômica “Little Boy” e, três dias depois, a bomba “Fat Man” em Nagasaki. Até hoje, as duas bombas foram as únicas armas nucleares utilizadas de fato numa guerra. Estima-se que cerca de 140.000 pessoas morreram em Hiroshima e 80.000 em Nagasaki, além das mortes ocorridas posteriormente aos ataques em decorrência da exposição radioativa.

Hiroshima destruída após o bombardeio em 6 de agosto de 1945
 
A imensa maioria dos mortos era composta por civis, mulheres, idosos e crianças, pessoas que não estavam combatendo na guerra.

Hiroshima - fotógrafo japonês desconhecido

Hiroshima - fotógrafo japonês desconhecido

Sobreviventes da bomba de Hiroshima pedem atendimento
a dois quilômetros do epicentro, pouco após a explosão - Matsushige Yoshito
 
Ruínas de templo budista em Nagasaki - 24/9/1945 - Lynn P. Walker, Jr.

Vítima do bombardeio atômico em Nagasaki - agosto de 1945

Sobreviventes do bombardeio atômico - Matsushige Yoshito
Desde 1944 o Japão era atacado com bombas incendiárias.
Tóquio, 1945 - Ishikawa Kouyou
 

Existe História?

Existe memória?

Hiroshima 1945
 

No documentário abaixo sobre a destruição de Hiroshima e Nagasaki perguntam a jovens japoneses se sabiam o que teria acontecido em 6 de agosto de 1945. Uma garota responde que não sabe, pois não é muito boa em História...


05 junho 2015

5 de junho - 9 anos da vitória das árvores da Rua Gonçalo de Carvalho

Dia Mundial do Meio Ambiente e da preservação das árvores da Rua Gonçalo de Carvalho.

Foi assinado em 5 de junho de 2006 - Dia Mundial do Meio Ambiente - o decreto municipal que preservou o Túnel Verde da Rua Gonçalo de Carvalho. A Gonçalo de Carvalho foi a primeira via urbana declarada Patrimônio Ambiental de uma cidade na América Latina.







No domingo passado, 31 de maio, foi realizado na Gonçalo de Carvalho o terceiro "Festival da Boa Vizinhança", promovido por La Casa de Pandora. Foi uma bela oportunidade para antecipar o aniversário de preservação do belo Túnel Verde da rua.