31 outubro 2010

A mídia perdeu novamente

Final do tradicional JN da rede Globo:

Não adiantou tentar influenciar o público que "ele" seria o candidato mais "sincero".
ELA venceu!


A população elegeu Dilma Roussef, a primeira mulher Presidente do Brasil!

Serra, definitivamente, virou PIADA

Partido Alto - Bolinha de Papel em versão estúdio:

28 outubro 2010

Até quando?

Este blog apoia Dilma Rousseff para Presidenta do Brasil

Essa campanha eleitoral será inesquecível para muita gente.
Inesquecível, porque nunca se viu uma campanha eleitoral tão rasteira, de tão baixo nível, como o que tem sido protagonizada pelos apoiadores do candidato oposicionista Serra e não apenas no horário eleitoral. Denúncias, acusações infundadas, difamação, argumentos ridículos e falaciosos pipocam no horário eleitoral, panfletos, telemarketing injurioso e ainda inundam nossas caixas de e-mails com mentiras e mais mentiras. E, se não bastasse, ainda muito dessa baixaria tem apoio ou origem na grande mídia.
Por que o desespero dessa mídia em ver o candidato que apoiam, mesmo sem abrirem o voto, eleito presidente do Brasil?
O que eles realmente ganharão com isso? O que eles tanto temem com a derrota de seu candidato? Que interesses estarão sendo ameaçados?
A grande mídia, salvo honrosas exceções, tem se comportado de maneira deplorável, tentando manipular o resultado eleitoral de maneira grosseira e ridícula. Isso culminou com a frustrada tentativa da Rede Globo "bombar" uma suposta "agressão" sofrida pelo candidato Serra no Rio de Janeiro, logo desmascarada por uma reportagem do SBT. Mesmo assim a Globo tentou criar uma explicação que não convenceu quase ninguém, inclusive seus constrangidos funcionários. A Rede Globo já tem um triste histórico no tema, basta lembrar o caso Proconsult (contra Brizola), a edição do debate entre Collor e Lula em 89 e a tentativa de influir no resultado eleitoral em 2006, que foi frustrado pelo lamentável acidente de avião. Aqui no Rio Grande a RBS (afiliada da Rede Globo) tem posição conhecida contra o PT e  sempre tentar influir nas eleições. Em 1988, na eleição para prefeito de Porto Alegre, seu jornal Zero Hora imprimiu duas pesquisas eleitorais no mesmo dia. Na ocasião a mais recente pesquisa mostrava que Olívio Dutra havia ultrapassado e o jornal estava sendo impresso com essa pesquisa, por interferência de um executivo da empresa os exemplares já impressos foram enviados para municípios bem distantes de Porto Alegre e foi montada nova edição com a pesquisa anterior, que mostrava Britto na frente de Olívio, para tentar dar uma "ajudinha" a seu candidato (e ex-funcionário) preferido. No programa eleitoral na televisão o candidato Olívio esbravejava segurando as duas edições do jornal, mas sem som nenhum. A geração do horário eleitoral pela TV era da RBS e a desculpa apresentada posteriormente foi "o PT tinha gravado o som em canal errado"...
A Globo, RBS, Veja e muitos outros órgãos de imprensa tem excelentes jornalistas e todos sabem que essas decisões de tentarem influenciar a opinião pública de modo fraudulento não é culpa da grande maioria de seus funcionários. Eles são apenas empregados que precisam de seus empregos, a culpa disso é de quem manda fazer! A responsabilidade é de quem exige que seja "fabricada" a farsa.
Mas e na campanha eleitoral? Dá para dizer que o candidato não sabe o que se trama? O candidato que supostamente estaria sendo beneficiado com a baixaria não tem nenhuma ingerência nisso?
Claro que tem. Não dá para imaginar que o candidato não saiba o que está sendo feito, ele não assiste nada do programa eleitoral? Alguém acredita nisso? As acusações repetidas nas entrevistas e debates são apenas "decorebas", lavaram o cérebro dele ou ele é manipulado pelo marketing de sua campanha?
Um candidato que não consegue controlar a linha de sua campanha eleitoral terá condições de controlar sua equipe de governo?
Percebe-se nitidamente que o candidato Serra sabe muito bem o que é feito e obviamente concorda com esse tipo asqueroso de campanha. Nesse caso, ele tem condições de ser um governante decente? Seu ministério será constituído por pessoas de atuação tão condenável e que ele aparenta ter tanta afinidade, pois continuam participando de sua campanha?
Nós temos posições políticas, mas evitamos posicionamentos partidários aqui. Temos nossos motivos, participamos de Associações, Movimentos de Moradores, Entidades Ambientalistas e outras que lutam pelos direitos da cidadania que tem participantes de quase todos os principais partidos políticos com representação no estado. Alguns de nossos vereadores e deputados - de vários partidos - são merecedores  de nosso respeito e grande admiração por defenderem as causas da cidadania. Só para citar alguns vereadores (apenas citando um por partido): Beto Moesch/PP, Sofia Cavedon/PT, Neuza Canabarro/PDT, Claudio Sebenello/PSDB, Dr. Raul/PMDB, Airto Ferronato/PSB, Toni Proença/PPS e Fernanda Melchionna/PSOL são políticos muito dignos e que honram nossa cidade. Outros, que discordam de nossas opiniões, não deixam de ser respeitáveis e decentes apenas por discordarem de nós.

Decência não é questão de partido político, é questão de caráter!

Vale a pena ler no Blog do Emanuel Mattos:
Fomos enganados, mais uma vez, pela Globo. Até quando?

Por isso, pedimos que pensem bem e votem na candidata Dilma no dia 31.


Brizola já alertava:

video

Vote 13 no dia 31!

23 outubro 2010

Saramago: "vivemos uma democracia sequestrada pelo poder econômico"


A sensacional participação de José Saramago no Fórum Social Mundial de 2005 em Porto Alegre.

Do Blog Porto Alegre Resiste:
Farsa de Serra e Rede Globo envergonham o Brasil

O dia em que até a Globo vaiou Ali Kamel

Passava das 9 da noite dessa quinta-feira e, como acontece quando o “Jornal Nacional” traz matérias importantes sobre temas políticos, a redação da Globo em São Paulo parou para acompanhar nos monitores a “reportagem” sobre o episódio das “bolinhas” na cabeça de Serra.
A imensa maioria dos jornalistas da Globo-SP (como costuma acontecer em episódios assim) não tinha a menor idéia sobre o teor da reportagem, que tinha sido editada no Rio, com um único objetivo: mostrar que Serra fora, sim, agredido de forma violenta por um grupo de “petistas furiosos” no bairro carioca de Campo Grande.
Na quarta-feira, Globo e Serra tinham sido lançados ao ridículo, porque falaram numa agressão séria – enquanto Record e SBT mostraram que o tucano fora atingido por uma singela bolinha de papel. Aqui, no blog do Azenha. você compara as reportagens das três emissora na quarta-feira. No twitter, Serra virou “Rojas”. Além de Record e SBT, Globo e  Serra tiveram o incômodo de ver o presidente Lula dizer que Serra agira feito o Rojas (goleiro chileno que simulou ferimento durante um jogo no Maracanã).
Ali Kamel não podia levar esse desaforo pra casa. Por isso, na quinta-feira, preparou um “VT especial” – um exemplar típico do jornalismo kameliano. Sete minutos no ar, para “provar” que a bolinha de papel era só parte da história. Teria havido outra “agressão”. Faltou só localizar o Lee Osvald de Campo Grande. O “JN” contorceu-se, estrebuchou para provar a tese de Kamel e Serra. Os editores fizeram todo o possível para cumprir a demanda kameliana. mas o telespectador seguiu sem ver claramente o “outro objeto” que teria atingido o tucano. Serra pode até ter sido atingido 2, 3, 4, 50 vezes. Só que a imagem da Globo de Kamel não permite tirar essa conclusão.
Aliás, vários internautas (como Marcelo Zelic, em ótimo vídeo postado aqui no Escrevinhador) mostraram que a sequência de imagens – quadro a quadro – não evidencia a trajetória do “objeto” rumo à careca lustrosa de Serra.
Mas Ali Kamel precisava comprovar sua tese. E foi buscar um velho conhecido (dele), o perito Ricardo Molina.
Quando o perito apresentou sua “tese” no ar, a imensa redação da Globo de São Paulo – que acompanhava a “reportagem” em silêncio – desmanchou-se num enorme uhhhhhhhhhhh! Mistura de vaia e suspiro coletivo de incredulidade.
Boas fontes – que mantenho na Globo – contam-me que o constrangimento foi tão grande que um dos chefes de redação da sucursal paulista preferiu fechar a persiana do “aquário” (aquelas salas envidraçadas típicas de grandes corporações) de onde acompanhou a reação dos jornalistas. O chefe preferiu não ver.
A vaia dos jornalistas, contam-me, não vinha só de eleitores da Dilma. Há muita gente que vota em Serra na Globo, mas que sentiu vergonha diante do contorcionismo do  “JN”, a serviço de Serra e de Kamel.
Terminado o telejornal, os editores do “JN” em São Paulo recolheram suas coisas, e abandonaram a redação em silêncio – cabisbaixos alguns deles.
Sexta pela manhã, a operação kameliana ainda causava estragos na Globo de São Paulo. Uma jornalista com muitos anos na casa dizia aos colegas: “sinto vergonha de ser jornalista, sinto vergonha de trabalhar aqui”.
Serra e Kamel não sentiram vergonha.

Texto do Blog “Escrevinhador” do Rodrigo Vianna:
Link: http://www.rodrigovianna.com.br/radar-da-midia/o-dia-em-que-ate-a-globo-vaiou-ali-kamel.html

21 outubro 2010

Bandeira de Mello: "é um orgulho votar numa mulher como Dilma"

Professor Celso Antônio Bandeira de Mello pede voto para Dilma Roussef



Celso Antônio Bandeira de Mello é um professor universitário brasileiro, titular de Direito Administrativo da Faculdade Paulista de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) desde 1974, onde foi também vice-reitor para assuntos acadêmicos (1973-1976), lecionando cursos de graduação e pós-graduação. Celso Antonio "sem favor algum, é reconhecido no mundo jurídico como o mais destacado expoente do Direito Administrativo no Brasil."

Fonte: Wikipédia

19 outubro 2010

Verdade factual: "tucanato" faz mal ao Brasil

Foto do "tucano" José Serra via Diário Gauche
Mino Carta e as verdades factuais
A cerimônia de entrega do prêmio As Empresas Mais Admiradas no Brasil 2010 realizada nesta segunda-feira 18, em São Paulo, foi o maior sucesso. Mais de 700 empresários e executivos lotaram os salões do Rosa Rosarum para prestigiar o tradicional evento. Anualmente, a partir de pesquisa realizada pela Officina Sophia, de Paulo Secches, ele premia as empresas que mais se destacaram em 48 segmentos do mercado.
Presentes, entre as autoridades, o próprio presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros Guido Mantega, da Fazenda, Miguel Jorge, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Orlando Silva, do Esporte e Carlos Eduardo Gabas da Previdência Social. Também prestigiaram a cerimônia, o ex-governador do Paraná e senador eleito Roberto Requião, o senador Eduardo Suplicy e os deputados Brizola Neto, Carlos Zarattini e André Vargas.
Na abertura do evento, discursou o diretor de Redação de CartaCapital, jornalista Mino Carta, que destacou os avanços obtidos no País nos últimos anos e comparou a gestão do presidente Lula com a de seu antecessor Fernando Henrique Cardoso. Mino reiterou o apoio da revista à candidata Dilma Rousseff, justificado pela necessidade de dar continuidade ao processo de desenvolvimento do País e de erradicação da miséria.

Fonte: revista Carta Capital 

Mino Carta - parte 1



Mino Carta - parte 2



E agora, José?

17 outubro 2010

Domingo na Redenção

Marcha em defesa da democracia e apoio à candidatura de Dilma Rousseff, na manhã deste domingo, no Brique da Redenção.




Texto do "Diário Gauche":
Em 31 de outubro, derrote a direita, derrote o velho obscurantismo de roupa nova, a mídia das oligarquias e a ameaça regressista no Brasil. 
Vote 13 
Vote Dilma!

15 outubro 2010

Museu das Águas de Porto Alegre na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - Blog Action Day

Museu das Águas de Porto Alegre é tema na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Conscientização sobre escassez, desperdício, poluição, usos e direitos da água como bem público serão principais alertas desse espaço, com arte.

O aumento dos usos e a escassa qualidade da água, provocada pela poluição e o desperdício, ameaçam a vida e o desenvolvimento social. Para fazer frente a esse problema ambiental, social e econômico, é necessária uma gestão pública com a participação da sociedade, conscientizada e mobilizada. É aí que entra a proposta do Museu das Águas de Porto Alegre, apresentada a representantes de diversas instituições e universidades. Implantado na Orla do Guaíba, o Museu será um ícone a ser apropriado pela população e visitantes, e proporcionará oportunidades para que a criatividade na produção artística seja desenvolvida através das artes visuais, literatura, vídeo e teatro, entre outras possibilidades, tendo a água como tema, material ou suporte.

Na próxima semana, em Porto Alegre, a proposta do Museu das Águas será apresentada durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2010, que acontece de 18 a 24 deste mês. A coordenadora do Comitê Multidisciplinar de Planejamento Urbanístico da Orla do Guaíba, Zoravia Bettiol, palestra sobre "Museu das Águas - a proposta", nos dias 20 e 21 de outubro, com ilustrações elaboradas por componentes do GT Museu, do Comitê.

Data: 20 de outubro de 2010
Horário: 20h
Evento no Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo - Sala de Pesquisa
Rua dos Andradas, 1223/2º andar - Porto Alegre/RS

Data: 21 de outubro de 2010
Horário: 16h
Evento no Anfiteatro 200, 2° andar do Prédio Nova Escola de Engenharia da Ufrgs
Av. Osvaldo Aranha, 99 - Porto Alegre/RS

Eixos orientam proposta do Museu

Educação, história e arte são os eixos que permeiam a instalação do Museu das Águas de Porto Alegre. No eixo educativo, a água será apresentada em seus diversos aspectos, sob forma de maquetes, jogos, instrumentos audiovisuais. No eixo histórico, a preservação terá ênfase com exposição de artefatos e documentos históricos da água e de seus usos. Já no eixo artístico, haverá um espaço para exposição de obras produzidas por artistas nos mais variados formatos, suportes, propostas e concepções, enfocando a água em seus diferentes aspectos, através de concursos, cursos e oficinas.

A ideia de um Museu das Águas surgiu em 2004, no Ano Estadual das Águas, que comemorou os 10 anos da Lei 10350/94, Lei Estadual da Água, proposta pela Câmara Técnica dos Recursos Hídricos da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, e apoiada por diversas entidades da sociedade civil e órgãos públicos, entre eles a Ari (Associação Riograndense de Imprensa), que realizou, também em 2004, o II Fórum Internacional da Água.

No dia 25 de novembro de 2009, integrantes do Movimento em Defesa da Orla do Guaíba realizaram a primeira reunião de uma equipe multidisciplinar para discutir e projetar espaços de uso público e ambiental para aquela área. O Movimento em Defesa da Orla do Guaíba teve papel fundamental em 2009, quando do polêmico projeto Pontal do Estaleiro, levado à consulta pública e com vitória do NÃO por mais de 80% dos votos.

A partir do Comitê Multidisciplinar, foi criado o Grupo de Trabalho do Museu das Águas, cujas primeiras ações foram elaborar uma proposta de instituição desse espaço de valorização da água e do ambiente da Orla do Guaíba. A proposta do Museu já foi apresentada a conceituadas entidades e os apoios, institucionais e técnicos, como a Associação Riograndense de Imprensa (Ari), Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/RS), Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan), Ufrgs, Abes-RS, UniRitter e Corsan.

Informações com
Jornalista Adriane Bertoglio Rodrigues

14 outubro 2010

Oportunismo político

Serra é AMBIENTALISTA?
Serra o "ambientalista" - cartum de Edgar Vasques
Do Blog Porto Alegre Resiste:
Serra mostra-se um “oportunista convicto”.

Com sua ida ao segundo turno das eleições presidenciais o candidato “tucano” José Serra adotou um discurso ambientalista, de olho nos 19 milhões de votos de Marina Silva. Nesta segunda, dia 11, a rádio Gaúcha entrevistou o presidente do PSDB e coordenador da campanha de Serra e não pode faltar uma pergunta que todos fazem: como se apresentar como “ambientalista” sendo apoiado pelos que querem enfraquecer a legislação ambiental? Sérgio Guerra, enrolou e fugiu da pergunta feita pela jornalista Carolina Bahia.
(Áudio no Blog Porto Alegre Resiste)


MotoSERRA - Cartum de Vecente - via GRAFAR
Em Vitória da Conquista, Bahia, Serra disse que abraçará projetos do PV caso seja eleito. Em suas primeiras manifestações em São Paulo, logo após a apuração do primeiro turno eleitoral, o “tucano” declarou-se “ambientalista convicto” e não apenas na teoria, disse que também na prática. Em Santa Catarina, onde derrotou a candidata Dilma Rousseff no primeiro turno, em entrevista a uma rádio de Chapecó voltou a declarar-se “ambientalista”, mas se atrapalhou ao falar em bioma:
“Eu sou ambientalista, eu defendo muito o patrimônio florestal. Serra defendeu ainda uma “flexibilização” no projeto do Código Florestal Brasileiro, de forma a respeitar as características de cada região do país.
- Sem dúvida, o problema da Amazônia é diferente do de Santa Catarina, que é de pequenas e médias propriedades e que já estão ocupadas há muitas décadas, para não dizer séculos. A questão do código florestal tem de permitir algum peso às condições regionais – afirmou ele.
Sobre Santa Catarina ter feito um código ambiental próprio: a constitucionalidade dessa lei, que reduz a proteção vegetal nas margens de rios e encostas, está sendo questionada no Supremo Tribunal Federal. Para ele, a votação do projeto que está tramitando no Congresso não deveria coincidir com a disputa eleitoral.
- O projeto não pode ser votado agora, ano de eleição. Nós vamos pegar isso no ano que vem e discutir com todo mundo. E ter em mente a necessidade de presevar e de ter incentivos econômicos para o desenvolvimento do país. Acho perfeitamente possível compatibilizar. O projeto que está no Congresso tem de ser modificado e dá para chegar a um entendimento.”

O curioso é que o “ambientalista convictona teoria e na prática, segundo ele mesmo, atrapalhou-se na hora de tratar dos biomas:
“Tem que levar em conta as biodiversidades regionais. Como é que eles chamam? Bio…?“, soletrou, tendo de recorrer a um assessor que acompanhava e até tentou ajudar. “Hein?”, voltou a perguntar o tucano, no que o assessor respondeu novamente. “O bioma de cada local”, completou Serra, graças ao socorro do assessor.

Claro que após tratar de assuntos ambientais ele voltou a seu surrado discurso com ataques e provocações ao partido adversário, em especial a candidata Dilma Rousseff.
Aqui no Rio Grande já estamos acostumados com esse tipo de discurso. Até pouco tempo atrás tivemos um secretário de Meio Ambiente que era um “convicto defensor de plantações de eucaliptos”.
Quantas pessoas, com o apoio da “mídia amiga”, esse discurso oportunista e falso enganará”?
A atual governadora gaúcha, apoiadora de Serra, também tinha o mesmo discurso de “flexibilização” do código ambiental gaúcho (PL 154). Assim como Serra, a governadora do Rio Grande – derrotada nas urnas no dia 3 – também seria uma “ambientalista convicta“?

Manifestação em Porto Alegre contra as alterações no Código Florestal - 2010
Serra é um político experiente e tem uma certa desenvoltura frente às câmeras, mas isso não basta para dar credibilidade a suas poucas propostas (?) e tentativas de desqualificar seus opositores. Com o baixo nível de sua campanha ele nem se apresenta como um candidato genérico, mais parece um candidato oportunista, um remédio falsificado para tratar dos problemas da nação. O que realmente faria, se eleito, um candidato que promove uma campanha de tão baixo nível e que mente descaradamente ao declarar-se “ambientalista”, tendo entre seus principais aliados os maiores adversários do ambientalismo?

"Dia da árvore" - Cartum de Guazelli, via GRAFAR

09 outubro 2010

World Builder


A strange man builds a world using holographic tools for the woman he loves.

This award winning short was created by filmmaker Bruce Branit, widely known as the co-creator of '405'. World Builder was shot in a single day followed by about 2 years of post production. Branit is the owner of Branit VFX based in Kansas City.

More info, background and info on future releases can be at http://www.facebook.com/pages/World-Builder/73936485659 Become a fan and keep in touch.

06 outubro 2010

Ato público pelo direito à informação e 25 anos do Jornal JÁ

Comitê Resistência JÁ

Convite
Ato público pelo direito à informação e 25 anos do Jornal JÁ

Cerca de 50 pessoas reunidas na sede da Associação Riograndense de Imprensa, no dia 11 de setembro de 2010, decidiram criar um “comitê de resistência” para impedir a liquidação do Jornal JÁ, cuja sobrevivência está ameaçada por um processo judicial com nítidas componentes políticas.

Este movimento de resistência vai além de iniciativas para a recuperação financeira do jornal JÁ. Pretende sobretudo defender o direito à informação, assegurado pelo inciso XIV do artigo 5º da Constituição Federal: “É assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional”.

6a-feira, 8 de outubro de 2010, 19 horas
Teatro Dante Barone, Assembléia Legislativa do RS

* Exposição de material histórico do jornal
* Exposição de charges de Santiago, Edgar Vasques, Eugênio Neves, Kaiser, Bier, Halls, Eduardo Simch, Rafael Correa e outros

Apoio: ARI, AJURIS, IAB, OAB, AGAPAN, Amigos da Gonçalo de Carvalho, ACJM/RS, Movimento Defenda a Orla, SINDJORS, FENAJ, SindBancários, CUT/RS, Força Sindical, Federação das Mulheres Gaúchas, Sindicato dos Servidores Públicos Federais - Sindiserf/RS, Grafar.

· Para ler o artigo do jornalista Luiz Cláudio Cunha, publicado no Observatório de Imprensa,que chamou a atenção para o caso em todo o Brasil: http://www.jornalja.com.br/2010/08/31/7287/
· Para ler a entrevista do editor do JÁ, Elmar Bones, publicada por Paulo Henrique Amorim no seu blog Conversa Afiada: http://migre.me/1tIJ3

Data: dia 8 de outubro, às 19 horas
Local: Vestíbulo do Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa do RS


Exposição sobre os 25 anos do JORNAL JÁ, relançamento do JORNAL JÁ e palestra com o jornalista e diretor do JÁ, Elmar Bones.

FAÇA PARTE DESTA HISTÓRIA!
-- 
Jornal JÁ
Comitê Resistência JÁ

03 outubro 2010

Vitória de Tarso no Rio Grande

Museu das Águas está no Programa de Governo da Coligação "Unidade Popular pelo Rio Grande", vitoriosa neste domingo.

Consta na página 45 do Programa de Governo, registrado no TRE:
...
- Produção regionalizada de produtos agrícolas perecíveis (hortifrutigranjeiros)

- Criação de órgão para coordenar a gestão de resíduos urbanos (domiciliares, empresariais, hospitalares, da construção civil)

- Implementar o Proinfra buscando produção de energia a partir de biomassa (bagaço de cana de açúcar e dejetos da suinocultura)

- Planejar o aproveitamento da Orla do Guaíba;

- Criar o Museu das Águas no Orla do Guaíba para contribuir na educação, informação e participação da sociedade.
...